por:Paulo da Silva

Desta vez ninguém mais do que os Servidores Públicos do município em especial para aqueles que tem uma penca de filhos em casa, tipo escadinha e ansiosos pelos presentes natalinos terão as festividades de fim de ano tão amargo. Sem gratificação, sem horas extras e férias que foram congeladas, o servidor terá que apelar de fato para o velho do saco grande. E o natal para muitos é época de fantasiar as coisas, se iludir, trocar presentes, brincar de amigo secreto… o prefeito William faz o natal do servidor ser frustrante. 

Com os cortes de William do Banco(PSDB), todas as festinhas de boca livre por exemplo alguns servidores  estão juntos. ‘Guerreiros’, quando vêem um carro de som com músicas natalinas já ficam espertos esperando ganhar ao menos balinha para dar as suas crianças.

Numa atitude inédita, o prefeito cortou o dindim em plena festas de fim de ano. Mantém 13 secretarias que sugam R$ 5 mil por mês, nesses e  nem no seu salário e de seu vice ele mexeu. Alegando ter que ajustar as contas, detonou com o natal do funcionários. As falas de William nos comícios, nas reuniões, no debate eram exatamente o oposto. Como estamos vendo era pura adrenalina, pura pirotecnia. Fomos enganados.

As medidas de William  ‘salgou’ o natal dos servidores.

Foi a atitude de William mais insensata, mais estúpida da administração dele até aqui. Vejamos; se o prefeito quisesse realmente cortar gastos, porquê o mais fracos tem que pagar? A corda sempre arrebenta para os mais fracos, mesmo? Isso é um tipo de política inaceitável nos tempos de hoje? Políticas são voltadas inclusive para os que estão a margem. Se é para conter gastos com pessoal,  porquê o nosso prefeito não baixou um decreto reduzindo o próprio salário, ele emboça R$ 15 mil mês-, [isso fora as diárias], a começar pelo dele seu vice e toda a sua patota? Por que? Porquê ele não é um político comprometido com o bem dos mais simples. Isto é fato comprovado. As conversas dele é bonita da boca pra fora. “Temos que nos unir, temos que nos ajuntar eu preciso de vocês”… e patati e patatá… 

Falam que precisa economizar, algo em torno de R$ 330 mil para fechar as contas e não ser azucrinado pelo Tribunal de Contas da União, que o problema não é a falta de dinheiro é adequação de folha mesmo. Ora se o problema não é dinheiro, então é incompetência administrativa, ora bolas.

 A falácia de William está a cada dia se tornando enfadonha, fastio…Tudo não passa de enfeite. Um truque, embuste para enganar trouxas. Incautos e inocentes. E olha que estamos em seu primeiro ano de mandato. A cidade continua do mesmo jeito, com os problemas de sempre. Só trocamos de prefeito, que ainda corta a gratificação dos pequenos, dos mais fracos.

Nada de ficar aqui falando que foi feito uma festa de rodeio  de arromba e aquela balela toda, como se isso bastasse. O rodeio do niver de Pedro Gomes foi ótimo. Mas pensemos; o Jocelino Oliveira, um peão das bibocas desse lugar, de fala caipira, peitou e fez uma festa dias antes, só com a cara e a coragem. O rodeio de William só saiu porque o governador deu o aporte. E na prática isso nem é soma. O efeito é de curto prazo.

O secretariado

No que tange a secretarias, foi o próprio William que falou em  palanques, nas reuniões, no debate que iria reduzi-las. Fez o contrário, aumentou e ainda ressuscitou uma pasta para abrigar uma ‘forasteira’. Enquanto isso,  nós servidores estamos na ‘pedra’. Sem gratificações, sem horas extras, sem férias sem panetone, sem peru e sem pururuca…

Uma triste realidade. Ficará na memória de cada servidor; o prefeito William cortou nossa gratificação nossas horas extras e congelou as férias. Teremos um natal sem comes e bebes. Sem peru , sem panetone, sem mesmo a pururuca. E daí? Vamos sentar e chorar? Não, vamos por toda a nossa indignação, toda a nossa revolta, toda a nossa pachorra, todo o nosso grito. Siga-me os bons!

Bruxarias e Piriquitá de Ouro…

Em toda cidade pequena as crendices tem muita força. Mula sem cabeça, lobisomem… Por essas bandas há quem acredite que o prefeito William do Banco(PSDB) esteja sobre algum encantamento e dos fortes. Isso ganhou forças depois que ele cortou gratificações, horas extras e congelou férias de servidores. Avaliam que William não esteja normal. Está diferente, estranho…

Embriagado por encantamentos estaria William. Dizem os mais supersticiosos. Poções mágicas teriam sido colocado em seu café matinal. Que na prefeitura tem uma bruxa das  mais poderosa. A feiticeira com seus trabalhos mágicos teria deixado o prefeito com a visão turva e a demônia estaria levando a culpa por William ter se desviado do caminho do progresso tão apregoado na campanha. Uma necromante, conjuradora de almas penadas anda impressionado o ‘pobrezinho’ do prefeito. Amarrações, patuás essas coisas encantadas. Uma servidora que trabalha na prefeitura relata conversas  de que vultos são vistos, batidas surpresas, sussurros horripilantes, vento gelado e até gritos de desesperos já foram ouvidos nos corredores do “Palácio do Amarra cabelo”.  A noite então, só os mais corajosos arriscam ir na prefeitura. Juram.

Os mais céticos desconversam. Que tudo não passa de mulheres que aprenderam com a ‘prática’ a dominar os corações dos pobres, carentes homens. Uma pessoa que fazia serviços na prefeitura e que foi retirada de lá, pela simples fama-, está até ganhou o singelo apelido de “boca de miséria”. Fofoqueira infernal, diplomada em fofoqueis.

Pois bem, esta me contou que por lá uma “encantadora” moça ganhou até mesmo um apelido com tom jocoso, carinhoso; “Piriquitá de ouro” que em tese estaria desencaminhado o “coitadinho” do prefeito. Ninguém cita nomes, espia que maldade gente. Ficaremos curiosos. Mas todos sabem quem é! Todo mundo na cidade sabe disso e comentam  de boca em boca esse fato que se transformou em anedotas. Mais a tal “boca de miséria” afirma que a dominadora usa roupas sensuais, atrai olhares de quem ela quiser encantar. Que a dita cuja tem na cachola o livro da Kamasutra de cor e salteado. Terrível, dominadora e ardilosa seria tal mulher! 

Quanto aos  servidores públicos municipais, certamente não somos contra a “piriquitá assanhada” de ninguém. A vida pessoal das pessoas é irrelevante vivemos numa sociedade mais tolerante em vista de outras épocas. Embora essa cidade é muito pequena e todo mundo sabe o que se apronta mesmo que se faça bem escondido. Não é novidade para muitos de nós coisas bizarras no sub mundo da política. Tão pouco, não acreditamos que o prefeito esteja dominado por  bruxas, piriquitá ou outra coisa  mais escandalosa ainda. Queremos mesmo é nossa gratificação inteira de volta, nossas horas extras e descongelamento das férias. 

E que Deus nos ajude!