Juiz da 8ª vara federal do Rio atendeu a um pedido do MP após o órgão argumentar que Silvinei Vasques fez uso indevido do cargo durante as eleições.

Sputnik 

Nesta sexta-feira (25), após decisão do juiz da 8ª vara federal do Rio, José Arthur Diniz Borges, o diretor-geral da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Silvinei Vasques, virou réu por improbidade administrativa.

Diniz Borges atendeu a um pedido do Ministério Público feito no último dia 15, depois que o órgão argumentou que Vasques fez uso indevido do cargo durante as eleições, por exemplo, ao pedir votos para o presidente Jair Bolsonaro (PL) no dia do segundo turno, conforme noticiado.

Na ocasião, o Ministério Público também pediu o afastamento de Silvinei Vasques do cargo de diretor-geral. Mas, ao analisar o caso, o juiz entendeu que, como Silvinei está de férias, quer ouvi-lo antes de tomar uma decisão, segundo o G1.

A mídia ainda afirma que se Silvinei usar todo o prazo praticamente já estará fora do cargo, uma vez que o governo Lula no poder ele não seguirá no comando da PRF, o que tiraria qualquer efeito prático de um afastamento.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here