Fidelidade de William a Tereza faz William direcionar apoio a Riedel.

O prefeito William Fontoura (PP) por causa de Tereza Cristina sinaliza acompanhar as pretensões políticas de Eduardo Riedel na disputa pelo governo do Estado. William que foi eleito pelo PSDB, deixou o partido para fortificar o PP, liderado por Tereza.

A ex-ministra de Bolsonaro, agora deputada federal pretensa a disputar a única vaga de senadora por MS e fará palanque para o atual presidente da República Jair Bolsonaro do PL que não terá candidato disputando o governo por aqui. William terá portanto, duas missões belicosas; arrumar votos para Tereza e não serão poucos, Terezinha é exigente e de quebra arrumar votos para Riedel, desconhecido por aqui. Bolsonaro é uma outra questão.

A gestão William deve se fragmentar nos apoios políticos. Gustavo Mota que responde pela pasta da Educação Esporte Lazer e Cultura, embora no MDB, alardeia que irá apoiar o ex-prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad, que deixou a prefeitura da Capital, para também disputar o governo. Jani Maria Cunico, no Social é partidária de Rose Modesto, outro nome forte com pretensões políticas. Dois do primeiro escalão de William, Vinicius Dassi e Carlos Roberto de Oliveira, lembrado pela sua atuação na Sanessul, o “Carlinhos da Sanessul” são ligados a ala emedebista. Os demais nomes, como da secretaria de Saúde, Sandra Tereza Bedin Garcia e José Carlos Teodoro, o Carlinho do Emiliano e Jakeline Figueiredo devem acompanhar William. Está última, com fama de consumidora de diárias-, atitude reprovada pelos munícipes que ainda não vislumbraram no que foi proveitoso na prática essas gastanças, é a mais fiel ao prefeito.

Diárias são elementos de despesas usados para custear viagens de gestores e servidores para atividades de interesse das administrações em outras cidades e Estados. O problema é que a responsável pela pasta do Turismo, consome muitas diárias.

Pois bem, com um número de eleitores tão pequeno a dispersão dos apoiadores do prefeito-, cada um para um lado revela a falta de liderança do prefeito. O natural seria que todos os seus cargos de confiança remassem juntos, evitando assim que todos morressem afogados diante da tormenta no mar da política que se avizinha. Por outro lado, o fato do prefeito apoiar nem que seja sozinho o candidato do governo é justo. Reinaldo Azambuja não foi ruim para Pedro Gomes e atendeu demandas cruciais da atual gestão, como a drenagem e pavimentação do bairro São Luiz que há tempos sofria por não ter suas vias pavimentadas.

Trecho inundado do bairro São Luiz em 2018 quando não tinha drenagem e nem asfalto- Rua Constituição

A retomada das casinhas do Loteamento do Amarra Cabelo que estavam paradas, a creche. O tão esperado recapeamento para resolver a situação das buraqueiras da cidade é outra solução que está a caminho, o dinheiro já está na conta.  Enfim, são obras que tem o dedo do atual governo o que justifica o apoio de William.

André Puccinelli

O ex-governador que lidera as mais recentes pesquisas foi o primeiro a visitar a cidade atrás do apoio do prefeito. Fez uma proposta irrecusável ao atual gestor se ele abraçar o seu nome e de Júnior Mochi para deputado estadual. Prometeu pavimentar as vias PG-02 e PG-03, tirando a cidade de ser fim de linha. Puccinelli tem fama de falar e cumprir mas, William desviou, mesmo com a “faca no pescoço” e tudo pelo discurso persuasivo de André. A proposta de André foi tentadora e muitos avaliam que William deveria optar pela neutralidade o que é bem mais o seu estilo e diante da dispersão de sua base. Por hora, William segue do lado de Tereza que exige dele fidelidade e mais a frente espera ver isso convertido em votos. Um eventual segundo turno talvez force William a cobrar ou até mesmo exigir apoio em conjunto. Até lá a tendência e deixar correr solto. O MDB local que são organizados prometem defender o nome do ex-governador. Para tanto, tem nomes mais robustos de prestigio para liderar a peleja por Puccinelli, Dr. Moisés e Dr. Maura.

E o Vandereley…

O ex-prefeito, acredite você ou não, está com o PSDB na mão. O ex-vereador Claudio Alberto dos Santos, o Claudio do Hotel é quem comando o partido por aqui. Recordam daquele rolo das eleições municipais por aqui em que Jani seria vice do Vanderley e na véspera correu pra ser vice de William? No final das contas perdeu o comando do partido tucano e entrou Doglas de Oliveira. Então, entrou na parada o deputado Paulo Correia, ligado ao Vanderley  e dono do PSDB na região norte. Tem fama de tirar partidos das mãos de quem contraria suas ordens. Com exceção do ex-prefeito de Sonora, Yuri Valeis que o peitou e levou a liderança do partido e ainda acabou virando prefeito em 2012, derrotando Correia. Vanderley até queria abraçar o nome de Riedel. Queria, agora com William acenando para os tucanos ele esfriou. Mota quer um nome oposto ao atual prefeito. Não faz sentido para ele estar no mesmo palanque, embora estamos falando de política, onde tudo pode acontecer, até isso. Vanderley e William juntinhos pedindo votos para os tucanos, affe. Eu torço pelo confronto, ideológico, mas se eles se pegarem no muro seria interessante. Revelaria suas bestialidades. É bom que se diga que tucano tem fama de matar os próprios filhotes, devorar o próprio ninho da espécie mas, trazendo para a analogia política, os tucanos tem fama de sisudos, nariz grande e ego enorme. Diante disso, não parece difícil fazer nossas escolhas. No final das contas que vença aquele que seja o melhor para o nosso Estado em especial para a nossa querida, judiada, esburacada… Pedro Gomes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here