No período de inverno, é comum o tempo ficar mais seco e frio. Em Mato Grosso do Sul, onde as temperaturas já costumam ser mais elevadas, a tendência de queimadas nessa época do ano aumenta muito.

Segundo levantamento da CCR MSVia, desde o início do ano até a primeira quinzena de julho, foram registradas 240 queimadas na BR-163/MS. Em 2018, no mesmo período, as equipes do Serviço de Atendimento ao Usuário (SAU) atenderam a 282 ocorrências do tipo. Ao todo, foram 496 eventos de queimada ao longo da BR-163/MS no ano passado.

Essa prática, além de destruir o meio ambiente e gerar multas, pode causar acidentes, uma vez que a visibilidade próxima à rodovia fica prejudicada.

Como alerta, a Concessionária recomenda aos motoristas que, em caso de fumaça na pista, reduzam a velocidade, fechem os vidros do veículo e mantenham distância segura do veículo que segue à frente. Nunca acione o pisca-alerta em movimento pois os demais motoristas podem achar que seu veículo está parado e não estacione em locais de risco. Procure parar em local seguro, longe da rodovia. Lembre-se: acostamento só deve ser usado em emergências.

Ainda, o SAU reforça aos usuários da BR-163/MS para que não jogue pontas de cigarro na rodovia, pois, além de poluir o meio ambiente, tais resíduos podem causar incêndios.

Caso passe por um ponto de queimada na BR-163/MS, acione o Disque CCR MSVia pelo telefone 0800 648 0163. As ligações são gratuitas inclusive para celular. O serviço funciona 24 horas por dia.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here