Se a eleição fosse hoje, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) poderia vencer os demais pré-candidatos no primeiro turno, conforme dados da Pesquisa Genial/Quaest divulgada nesta quarta-feira (10/11). De acordo com o levantamento, o petista teria mais de 50% dos votos válidos.

Nos dois cenários eleitorais para o primeiro turno pesquisados pela Quaest, um com o governador João Doria (PSDB-SP) como candidato do PSDB e outro com o governador Eduardo Leite (PSDB-RS), Lula teria 48% e 47% do total de votos, respectivamente. O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teria 21%, e o ex-juiz Sergio Moro, 8%, em ambos os casos no primeiro turno. Brancos e nulos somaram 14% das respostas nas duas enquetes.

Em um eventual segundo turno entre Lula e Bolsonaro, o petista teria 57% contra 27%. Se a disputa fosse com Moro, Lula também venceria, com 57% contra 22%. Se o adversário do petista fosse Ciro Gomes (PDT) no segundo turno, o placar de Lula seria 57% contra 20%. Contra o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), Lula teria 57% e o tucano, 14%. O governador de São Paulo, João Dória (PSDB) também não teria chance contra Lula. O placar seria de 58% e 13%, respectivamente. Já o senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), na lanterna, teria 12% enquanto Lula, 59%.

Avaliação negativa de Bolsonaro

A 5ª edição da pesquisa também evolução na preferência por Lula e piora na avaliação do governo Bolsonaro. Conforme os dados do levantamento, a avaliação negativa do governo chegou a 56% no mês de novembro, o maior patamar desde o início da enquete, em julho.  Já a avaliação positiva atingiu o menor patamar, de 19%, refletindo a piora no cenário econômico.

“O governo Bolsonaro tem hoje avaliação mais negativa do que positiva em todos os estratos sociais, políticos e econômicos. A única exceção continua sendo o eleitor que votou em Bolsonaro em 2018. Nesse grupo, 39% avaliam bem o governo e 28% avaliam mal”, escreveu o coordenador da pesquisa e CEO da Quaest, Felipe Nunes, nas redes sociais.

Para 69% dos entrevistados, o presidente Bolsonaro não merece ser reeeleito.  “O motivo principal para este crescente mau humor dos brasileiros com o governo é o bolso. Em julho, 41% dos brasileiros diziam que a pandemia de covid-19 era o maior problema do país e 28% a economia. Agora, 48% acham que a economia é o maior problema, e apenas 17% a saúde”, destacou Nunes.

De acordo com a pesquisa, a torcida por Lula cresceu entre outubro de novembro, passando de 42% para 46%, o maior patamar desde o início da pesquisa, em julho. Já o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) teve a preferência de 22%, menos do que os que não preferem nem Lula nem o chefe do Executivo, 25% — percentual abaixo dos 29% de setembro.

Conforme os dados da pesquisa, embora a economia seja o principal problema identificado pelos brasileiros, há um crescimento expressivo das preocupações com as questões sociais. Entre julho e novembro, saiu de 4% para 10% a preocupação com a fome e a miséria.

“Eleição sobre economia, é garantia de eleição para o Lula. Os dados da pesquisa mostram que inflação e fome são os dois problemas que mais cresceram nos últimos meses. Não tem ninguém que se beneficie mais disso do que Lula”, explicou Nunes ao Blog.

O levantamento da Quaest entrevistou 2.063 pessoas entre os dias 3 e 9 de novembro em 123 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais e o nível de confiabilidade é de 95%, segundo os organizadores.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here