Inverno a caminho: cuidados devem ser redobrados para evitar contágio de doenças respiratórias. Doenças mais comuns nesta época são: gripe, rinites alérgicas, asma e bronquite 

 

O inverno está se aproximando (inicia-se oficialmente no dia 21 de junho) e, junto à época, o aumento dos diagnósticos de doenças respiratórias. Neste período de baixas temperaturas os cuidados com a saúde devem ser redobrados.

Dr. Bruno Higa Nakao, otorrinolaringologista da Unimed Campo Grande, conta que as doenças mais comuns nesta estação são: gripe, rinites alérgicas, asma e bronquite. “Os casos neste período aumentam por conta da tendência de aglomerações em casa, trabalho e escolas, e também porque a exposição à temperatura baixa tende a aumentar a formação de secreções nasais e, consequentemente, o paciente pode apresentar tosse e obstrução nasal”, explica o especialista.

Nakao ainda relata que “no inverno as pessoas tendem a ficar em ambientes fechados para não ter a entrada de ar gelado, e, com isso, aumenta a presença de poeira, por exemplo. Sem contar que se alguém neste ambiente estiver contaminado com algumas dessas infecções, as chances de contágio são maiores”.

Para evitar esta situação é essencial adotar uma rotina de cuidados em casa, como:

– Ter uma boa higienização, lavando as mãos e limpando os ambientes com pano úmido

– Escovar animais de estimação fora do ambiente de casa, para não ter perda de pelo no local

– Na medida do possível deixar a janela aberta para ter troca de ar em um horário que esteja mais quente

Já Dr. Henrique Ferreira de Brito, pneumologista da Unimed CG, esclarece que neste período é essencial que toda população fique alerta sobre quais são os sintomas, quando é necessário buscar ajuda e quais são as principais dicas para evitar e controlar as doenças respiratórias.

Sintomas 

Os sintomas mais frequentes são:

– Tosse, seca ou com secreção

– Espirros

– Coriza

– Congestão nasal

– Desconforto na garganta

– Febre

– Dor no peito

O que fazer?  

Ao apresentar algum dos sintomas listados, é necessário atentar-se e procurar atendimento médico. “Em tempos de Covid-19, de outras gripes, como a Influenza H1N1 e H3N2, é essencial que o médico faça o diagnóstico diferencial para oferecer o melhor tratamento, fazendo com que o paciente consiga passar por esse momento com tranquilidade”.

Porém, é importante lembrar que os prontos atendimentos são voltados para atender casos de pacientes mais graves. Para consultas ou tratamentos, é preciso agendar com um dos mais de 1700 médicos da Unimed Campo Grande e, em caso de dúvidas, basta ligar no 0800 515 1510.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here