O líder religioso foi para a cadeia depois que exame constatou a presença de líquido seminal nas roupas da vítima.

247

A polícia prendeu nesta sexta-feira (24) um pastor evangélico de 41 anos suspeito de um crime de estupro de vulnerável. A vítima tem 12 anos. O crime  ocorreu na casa de uma fiel da igreja no Bairro Vila Velha, em Fortaleza. A polícia está mantendo o nome do pastor sob sigilo para proteger a adolescente, já que a divulgação poderia levar à identificação dela.  A prisão foi realizada no bairro São João do Tauape.

De acordo com a polícia, um exame detectou a presença de líquido seminal nas roupas íntimas do suspeito, no dia em que a garota dormiu na casa do pastor.

O crime teria ocorrido em dezembro do ano passado. Segundo a mãe da adolescente, que deu entrevista sob condição de anonimato para a TV Verdes Mares, afiliada da TV Globo, o crime aconteceu no condomínio onde a jovem dormiu na mesma cama do pastor.

A mãe relatou que o religioso convidou os filhos dela para dormirem na casa de uma irmã que frequentava a igreja. A mãe relatou como o pastor se aproximou da filha.

“Ele era uma pessoa de extrema confiança. Ele estava no convívio desde 2017. Em dezembro do ano passado, ele veio aqui (na residência da mãe) e pegou meus dois filhos adolescentes para irem dormir na casa de uma irmã da igreja. Aí ele alegou ensinar matemática também. Minha filha relatou para mim que no meio da madrugada ele (pastor) deitou no meio deles e ali ele cometeu o abuso. Ela fala que ele começou a encostar nela. Começou a tocar nos seios dela, partes íntimas dela”, afirmou, chorando.

Ainda segundo relatos da mãe, a filha disse que ficou apavorada e não conseguiu reagir. “Ela comentou também que em um determinado momento ele abaixou o short dela. E minha filha me disse que sentiu algo molhado, algo gelado, em algum momento. Depois dela sentir isso, percebeu que o pastor limpou tudo com um lençol e depois se levantou e foi para cozinha. Ela fingiu que estava dormindo porque ficou apavorada”, disse.

A mãe afirmou que, quando soube do abuso, foi para a delegacia. Ela disse que registrou um boletim de ocorrência e exame de corpo de delito. “Depois fui à delegacia fazer a denúncia e fiz corpo de delito. Eu levei uma peça íntima dela para análise e foi encontrado vestígio nesta peça íntima dela.

A mãe acrescenta que a filha está assustada e que acorda durante a noite com medo. Por conta do trauma, a garota é assistida por uma psicóloga.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here