Saúde relata resistência em tomar a dose de reforço, a 3ª dose. Medida é vista como reforço na proteção, principalmente para idosos, mas susceptíveis à sintomas mais acentuados da doença.

por: Paulo da Silva

Dois idosos, um homem de 83 anos, e uma mulher de 67 estão em tratamento em casa, após serem diagnosticados com a covid-19. Apresentam sintomas leves da doença, como tosse e febre intermitente.

Foram vacinados com as três doses oferecidas, estão em casa isolados e monitorados pelas autoridades de saúde do município. Pessoas com sintomas gripais consideráveis foram orientados a procurarem o Hospital Municipal de Pedro Gomes, para sondagem por meio de teste rápidos e são suspeitos de terem se contaminados.

A Saúde reforça os cuidados com a doença, como: lavagem das mãos, uso de máscaras, evitar aglomerações e se vacinar, caso esteja fora do cronograma vacinal contra à covid-19. A terceira dose é indicada para pessoas a partir de 18 anos, que tomaram a segunda dose até cinco meses.

Para quem tomou Janssen, que era de dose única, é indicado uma segunda dose com dois meses de intervalo. Cinco meses depois, o indivíduo poderá tomar o reforço.

Vacinas

De acordo com responsáveis pela pasta da Saúde é grande o número de pessoas que se recusam a tomar a 3ª dose do imunizante para a covid-19. Responsáveis pela vacinação relatam que mesmo indo nas residências, muitos tem recusado a receber a chamada dose de reforço, a 3ª dose-, que nesse caso, garante maior proteção principalmente em idosos que tem respostas menor as vacinas por conta da idade.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here