por:Paulo da Silva

O Policial Civil Tiago Vargas, lotado em Pedro Gomes, num vídeo que atingiu mais de 40 mil visualizações, ataca o deputado federal, Elizeu Dionízio, hoje no PSB, por conta de suas posições em diferentes, em relação a votações na câmara. O parlamentar votou a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e para proteger o atual presidente (Michel Temer) das investigações de corrupção.

Tiago Vargas teria sido designado para Pedro Gomes, como forma de “castigo” por ter se posicionado contra a classe política de MS. O episódio foi divulgado por uma importante mídia eletrônica, de que o policial foi mandado para o “fim do mundo”-, Pedro Gomes o que gerou revolta entre alguns Pedrogomenses.

No vídeo o agente começa perguntando por onde anda o “nosso deputado federal por Mato Grosso do Sul, Elizeu Dionízio que era do PSDB atualmente está no PSB? Elizeu Dionízio não falou um “a”, sobre as paralisações dos caminhoneiros, ” cobrou Tiago.

Como policial, Tiago atua em Pedro Gomes a cidade do “fim do mundo”

Na postagem que está dando grande repercussão, o policial também lembra que o parlamentar não se manifesta sobre a crise política do governo de Michel Temer, do qual deduz também ser culpa de Dionízio, por ter poupado Temer de ser investigado.

“Para pedir o impedimento de Dilma Rousseff Elizeu foi um leão, Fora Dilma, tchau querida, chega Dilma… Na hora de votar para pedir o prosseguimento contra as acusações ao atual presidente Michel Temer ele parece um “um cordeirinho”, lembrou o policial em tom de ironia.

Para argumentar sua fala no vídeo, o policial mostrou os dois vídeos em que ele votava a favor do afastamento de Dilma onde se mostrava com discurso inflamado contra a ex-presidente e outro, para investigar Temer, um deputado apático, sisudo, votando “Sim” de cabeça baixa.

No final o policial manda um recado e culpa a crise no país sentencia; “que o deputado é culpado, pois não deixou que as investigações não prosseguissem contra o atual presidente. Acenando o policial chegar a dar “Tchau, e cita o político, sentenciado que em Mato Grosso do Sul o atual deputado não consegue a reeleição.