Os dois sob efeito de álcool; na delegacia a mulher saiu em disparada e o marido ficou para resolver as buchas, sozinho. 

Já era madrugada, quando o casalzinho cansados de encher a cara em uma conveniência na região central da cidade, resolveram do nada-, brigarem. Após discussão, o macho deu-lhe um tapa na cara e ela saiu do local pegou um táxi e partiu para a residência. Lá ela teria sido trancada pelo marido, motivo pelo qual ela acionou a Guarnição policial. O policiais romperam o cadeado e libertaram a “coitadinha” que estava presa feito um passarinho na gaiola.

Com as informações repassadas pela mulher, a polícia saiu pelas ruas para localizar o agressor. Quando o encontrou em uma Avenida ele se encontrava num veículo em visível estado de embriaguez: sonolento, voz pastosa, desajeitado, arrupiado, fedido e com aquela nojeira de bêbado. Ele mesmo declarou aos militares que teria bebido a noite toda, que Deus lhe deu.

A polícia levou o casalzinho briguento para o hospital da cidade, onde não foi constatado nada demais, a não ser muitos “mamados” gíria usada para definir de forma simplora gente bêbada demais. Ainda  no hospital a mulher estava nervosa, e tendo confusão mental. De repente ela saiu em disparada pela porta do hospital assustando todo mundo e os policiais saíram correndo atrás. Depois de dar muita canseira nos militares ela foi recolhida no recinto hospitalar para terminar a consulta com o médico plantonista, que juntamente com os demais colegas suspiravam de tédio.

Depois foram para a Delegacia para terminar os trâmites legais. Não é de ver que a infeliz saiu em disparada de novo gente. Bêbada, mais veloz. Saiu numa velocidade… que os meninos da PM não conseguiram mais alcançar. Ufa! Também já estava raiando o dia. O homem ficou lá imóvel e ainda sob efeito das bebedeiras vai ter resolver as buchas sozinho. Será autuado por embriaguez ao volante e vias de fato, a violência doméstica.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here