“O prédio do posto na frente, amanheceu todo cagado”, relatou servidores.

O Posto de Saúde localizado na rua, Artidorio Barbosa, no bairro Marcelino, foi vandalizado. De acordo com profissionais a ação criminosa ocorreu durante a noite. “O prédio do posto na frente, amanheceu todo cagado” é o relato indignado de servidores. Os atendimentos na unidade de saúde não foram  comprometidos.

Ao chegarem no local hoje pela manhã, se depararam com um cenário de desprezo por parte de pessoas que não respeitam o patrimônio público. Acreditam que se trata de pessoas que residam no bairro, que fez a ação para zombar dos servidores e aproveitando-se do local que é escuro, sem muros e sem guardas no local.

De acordo com relatos dos trabalhadores, não é a primeira vez que acontece. Tudo indica que seja homem, o autor da ação reprovável,  pois no local foi localizada uma cueca. Os servidores relatam a infestação de pombos nos ar-condicionado. Que tem que ser colocado telas para inibir as aves que também sujam muito o local.

A questão dos pombos, em partes chega até ser compreensiva, mas a ação humana é uma falta de respeito para com o local que serve para oferecer atendimentos aos moradores do bairro. Não é uma ação deliberada dos moradores, é uma ação de um “espírito de porco’, desocupado, vagabundo e zombeteiro, entre outros adjetivos- que não zela nem pelo seu próprio patrimônio e desconhece a prática criminosa.

O PNEWS entrou em contato com a Secretaria de Saúde, Sandra Tereza Bedin Garcia, que relatou já ter conhecimentos de atos de vandalismo no local. Que já estuda isolar o posto de Saúde com muros e também telas e reconhece que o problema se repete. Lamentou a falta de compreensão por parte das pessoas e apontou que a atitude é criminosa. Que a princípio vai providenciar luminárias para o local, deixando o local iluminado para coibir mais atos de vandalismo.

Atos de Vandalismo é crime.

De acordo com o Artigo nº 163 do Código Penal Brasileiro, vandalismo é crime e o autor do delito fica sujeito à prisão e multa, por danos ao patrimônio público. A pena varia de seis meses a três anos de detenção, além de agravantes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here