Em tese, gestor deseja apoiar nome que apenas ‘esquente’ a cadeira para seu eventual retorno em 2028. 

por:Paulo da Silva

William se apegou mesmo a cadeira do executivo e quer apoiar um nome, sem expressão e que lhe devolva o cargo em 2028. Quer retornar ao comando da prefeitura para quem sabe, um último mandato. O prefeito atual ainda não limpa gavetas, mas se prepara psicologicamente para ter que deixar o cargo para outro personagem político. Em tese, William deseja retornar para gerir mais uma vez Pedro Gomes. Para tanto, luta para deixar um legado; obras como drenagens, recapeamentos, pavimentações asfálticas, construção de pontes, etc.

Com Eduardo Riedel, eleito governador

Por hora, acelera o passo para que obras que são tocadas na cidade que foram promessas do ainda governador Reinaldo Azambuja-, na primeira campanha de William sejam concretizadas e vão para a sua conta política. E quer agora, como no futuro, que isso cole em seu nome e se converta claro em prestígio, votos.

William vistoriando obras de pavimentação asfáltica na São Luiz

Para tanto, William deseja um nome que apenas ‘esquente’ a cadeira do executivo. É essa a leitura que se faz. O gestor não quer um nome que se destaque, que faça algo digamos assim, supimpa-, que caia nas graças do público. Pois bem, o nome que mais corresponda ao plano de William é do contador Normando Mota.

Normando é hoje uma espécie de conselheiro de William e o prefeito nunca escondeu a sua gratidão a Normando. Que mete o bedelho de vez em quando nas decisões de William. Que até indicou nomes para o primeiro escalão e reprovou outros. Que em outra ocasião, bateu de frente com Doglas de Oliveira, o vice de William por causa disso. Por falar em Doglas, este também quer ser prefeito. Mas, não é o preferido de William pois, pode tomar ‘gosto pelo poder’ e não querer ‘entregar’ o cargo para William em 2028. Para os observadores consultados para este post, o nome de Doglas também parece não ter liga política, não ter musculatura eleitoral. É tipo cavalo paraguaio; bom de saída e ruim de chegada.

Pois bem, voltado para o nome de Normando, as alianças já estão sendo costuradas. E claro que Normando teme entrar de cabeça numa disputa política o que seria novidade. Sempre ficou nas sombras, ajudando eleger incontáveis nomes tanto para prefeito como para vereadores. Por hora, William encara a empreitada e já arregimenta lideranças em prol de Normando. De forma sorrateira, em segredo aposta as fichas nisso. Para tanto, corre contra o tempo para deixar um legado incontestável. Obras que na maioria são de outras esferas de governo, mas que reflete em seu prestígio político.

Os problemas

O nome de Normando Mota seria a primeira opção de William. Foi Normando que estruturou, financiou…, fez o nome William politicamente viável. O atual gestor sabe que tem essa dívida com o contador. Mas, o nome de Normando esbarra na falta de visibilidade. Normando não comanda nenhuma pasta da gestão pública, simplesmente por que não quer. Outro fato é que Normando é visto na cidade como raparigueiro demais. E antes que que se ofendam com o termo e queiram processar esse simples editor, é o mesmo que, homem sincero, trabalhador, porém boêmio e principalmente garanhão. Ufa!

Por hora, não se sabe se isso prejudicaria a peleja de Normando rumo ao Palácio do Amarra Cabelo, como um prefeito de transição. São estratégias da cabeça de William que ainda terá que passar pelo crivo do eleitor pedrogomense, que sente falta de um prefeito com uma primeira-dama do lado. Nem que seja para gente paparicar, ou ao menos para fazer raiva para a gente. Mas, que possa dar graciosidade, leveza, no meio político pedrogomense.

Outros nomes devem surgir daqui para frente. Mas, daí será uma outra história.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here