Com o descredenciamento os Programas Saúde da Família ficará sem recursos da União e Estado e os atendimentos nesses postos poderão ser suspensos.

Uma portaria do Ministério da Saúde, de número 1.717 de 12 de junho de 2018, determinou o descredenciamento das duas unidades do Programa Saúde da Família (PSF), em Pedro Gomes. A cidade de Coxim teve 5 unidades fora do programa.

Em destaque em vermelho, as cidades de Coxim e Pedro Gomes, descredenciadas no Ministério da Saúde/Foto:Reprodução do Ministério da Saúde

 

A ação foi determinada pelo governo de Michel Temer(MDB), que retira recursos para ajudar a manter o programa nos municípios. O OPORTALPNEWS  via aplicativo de celular, procurou a Secretaria de Saúde, Sandra Tereza Bedin Garcia, entretanto até o fechamento desta matéria não obtivemos retorno. 

Sandra Tereza, está atualmente no comando da pasta da Saúde

 Várias unidades de PSF foram descredenciadas em todo o território nacional. As justificativas do descredenciamento foram que as unidades perderam o convênio por não cumprirem prazos estabelecidos pelo órgão.

Aqui um registro da Equipe dos PSFs em evento voltado para a Saúde da Mulher realizado na Vila São Luiz

Para os municípios que tiveram o descredenciamentos, o Ministério da Saúde informa que posteriormente poderá ser feita nova solicitação, porém sem data prevista para início. O descredenciamento poderá afetar os repasses do Estado e da União para o município para poder custear a equipe do Programa Saúde da Família.

Aqui um registro do Agente de Saúde, Silvino Peres que atua na zona rural da cidade. Programa mantido com verbas da União e Estadual

Para que as equipes não sejam descredenciadas devem ser lançadas periodicamente a produção mensal de todos os funcionários e cumprir requisitos mínimos das regras estabelecidas no programa.

O médico cubano dos PSFs, dos Bairros, Dr. Modesto, chegando para trabalhar em uma das unidades em Pedro Gomes.

 

A cidade de Coxim também teve unidades descredenciadas, ao todo foram cinco. Com o descredenciamento, ocorrido em PSFs em todo o Brasil 15 milhões de pessoas podem ficar sem cobertura da Saúde da Família. Cada equipe deve atender cerca de quatro mil pessoas. O documento não traz qualquer alerta ou advertência sobre o descumprimento de prazo apenas anuncia o fechamento.