Todas as fotos em breve na fanpage. Aguardem.

Depois de mais de dois anos, sem festas, os sonorenses retornaram e lotaram as arenas para prestigiar a festa do rodeio. Muita gente de outras cidades e até de outros Estados testar a adrenalina durante as montarias. Vestidos à caráter; chapéus, calças, bota… Grandes festas não é novidade em Sonora. Até o cafona, brega do Amado Batista já passou por aqui.

É claro que nos bastidores já se discute pra quem o atual prefeito passará o bastão. Pois bem, Enelto ainda segue no comando por mais dois anos que está passando “voando” e enquanto o prefeito ficava lá de cima do camarote serelepe e vez por outra olhando com vista perdida, do alto de sua onipotência prefeital, lá em baixo, no chão, na terra, estava alguns já de olho de zeca pimenteira em seu cargo. Entre eles, Yuri Valeis, que gostava de ostentar um chapéu de palha na cabeça, camisa de manga comprida com direito a suor exalando do sovaco. Algo bem macho, bem bruto, dominador… Verdade pura, eu mostro, eis a foto:

Pois bem, para alguns mais próximos ele dizia isso; que era pré-candidato à prefeito, repetia e repetia. Alguns achavam que era apenas expressão das festividades, que talvez o álcool estivesse falando, mas, ai é que tudo é mais real mesmo né. O álcool entra e as verdades saem. Urum, isso mesmo ah, ele também dava aquele abraço de apertar com força mesmo de quase quebrar os ossos todinho das pessoas. Imaginem ele dando esse abraço com toda a sua bruteza no pobrezinho do Enelto gente?! Do jeito que Enelto é franzino, miudinho, pequenininho…

E por falar no prefeito Enelto, estava numa tosse persistente no primeiro dia. Enelto teve covid-19, mas não sucumbiu à doença, está ai vivinho da silva. Só que para dar uma revigorada, ele tomou um coquetel de vitaminas: soro, vitamina C, completo B direto na veia. No outro dia estava tinindo. Pra lá e pra cá, pose para um batalhão de fotógrafos, atendia telefone e resolvia as coisas, dava ordens… Os mais críticos não perdoaram o burburinho que a festa fazia na cidade. Gente comprando nas lojas, carros de outras cidades, peões, peoas, um fervo só. Pouca gente bonita, muita gente feia, meu Deus! Mas, uma placa foi colocada em letronas grandonas ironizando tudo. Cobrando uma infeliz promessa de campanha do prefeito de que não iria ter taxa de lixo. KKKKKKK tem sim, e ela é salgada. É justo o protesto. Tem quem defenda que Enelto falou a promessa na adrenalina política, e tentam desconsiderar as críticas. Mas, prometeu né. Ninguém é obrigado a prometer, mas se prometeu, cumpra-se. É a honra da pessoa em jogo. Se vire, o povo quer o prometido. Sem taxa de lixo, promessa é dívida. Olhe a placa aí:

Enelto deu de ombros, estava festivo. Durante o desfile da cidade fez questão de ter a hoje deputada Tereza Cristina do lado. Eduardo Riedel, Gerson Claro, Beto Pereira, pareciam ficar em segundo plano. Todos os mimos e todos os flash para ela. Enelto acha ela humilde. Convenhamos né, humilde? Nem eu sou humilde, a Tereza vai ser. Mas, ok então ela é humilde, urum sei…

Os dois lá do alto dos camarotes, vendo o povo lá em baixo…

Vestida com roupas do campo; botinha preta, calça Jean meia surrada camisão preto, algo bem masculino, bem fazenda. O que Tereza vai precisar mesmo é de votos, daqui alguns meses. Agilizou para as cidades que eram suas parceiras muitas coisas quando era ministra daquele lá que colocou sigilo de 100 anos em seus gastos, o que leva muitos a desconfiar e com razão, de que tem coisa errada por detrás de tudo isso. Ufa!

Primeira-dama Adenir Franco brilha

Em compensação, Adenir Franco, a primeira-dama roubou a cena com looks que lhe caíram muito bem. Aliás, bem vestida, meiga, empática, bem maquiada, alegre, sorridente;-mulher. Sem barulho, sem ser forçada, simplesmente mulher. Deve ter um monte de problemas na cabeça, mas e daí, todo vivente tem problemas. Adenir é tão exultante que Enelto fica mais pequeno perto dela. Não é exagero, é fato. Mas enfim, vamos para os look da primeira-dama. Confira:

 Detalhe, nesse click, Enelto atrás…
Homenageada
E esse onde a Professora Clotilde parece comtemplar Adenir.
Que tal esse, um pretinho básico?
Pra fechar, essa combinação; conjunto imitando coro na cor terra, amarelo ouro, por dentro uma blusa de veludo e bota meia canela. Puro glamour !

Claro que roupa não é tudo. É mais do que, quem veste, do que a própria roupa. A roupa apenas complementa, o que é belo por dentro. Isso é natural em algumas pessoas. Algumas viu, não é todas. Não seja uma pessoa enxerida. Algumas a mãe natureza parece até ter sido injusta, judiou mesmo não tem jeito. Pode por a roupa que for, que não acrescenta. Fica é pior. Tem umas pessoas que ela não são pequenas somente no tamanho, mas no caráter também, outras até se esforçam, uma pintura ali, uma roupinha, mas não dá certo…

E os vereadores…

Fábio Sinuca do MDB, principal oposição ao atual prefeito, deixou as rixas de lado e foi festejar. Fez até um registro ao lado de Enelto, assim como Flávia Vasconcelos (PDT) estava com o esposo em um camarim e amigos. Ambos, demostrando assim amadurecimento político. Joaquinzinho estava, Jansen estava, Barriga estava, um que é Professor também estava… O Tutinha, que preside a Casa estava lá em baixo vendendo cartela do bingo, risonho, junto da esposa e filhotes. A festa é do povo e só foi possível por causa da Câmara de Vereadores.

A vereadora Vera Dantas, estava bem comportada, digo bem vestida acertou nas escolhas. Se foi ela mesmo que teve a proeza, acertou na mosca. Combinou.

O problema é quando a Verinha Verão, tenta verbalizar as coisas. Teve uma noite que ela está brava. Mais brava dos que aqueles touros que os peões judiados nas carnes tentavam domar. Enelto parecia tentar acalmar, mas a Vera estava lá emburrada, magoada, injuriada… Com jeitinho ela foi ficando macia, amassando, cedeu… e foi festejar. Veja o look da Verinha.

Para finalizar, o momento foi marcado por um retorno gradual da normalidade, mais de 2 anos sem festas. No meio das pessoas. Vendo, sentindo, nos abraçando, aliás os narradores com reflexões sobre a pandemia vibrou pelos que estavam presentes na festa, que não perderam a vida, o que ocorreu com muitos que tiveram a vida ceifada pela covid-19. É de fato motivo para nos alegrarmos, comemorar. Estamos vivos e ainda participando da história. É festa. Confira alguns registros do PNEWS presente nos três dias da festa.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here