No pedido do MDB partido não apresentou nenhuma prova que comprovasse a veracidade das denúncias.

por: Paulo da Silva

A justiça  decidiu sobre a representação do MDB que contestava a pesquisa eleitoral que coloca o atual prefeito Enelto Ramos (DEM) a frente da candidata do MDB, Clarice Ewerling. Foi negada o pedido para a retirada do ar o resultado que coloca Enelto com 58,8% e Clarice com 28,2% na pesquisa feita antes das convenções partidárias, ocorrida no dia 16 de setembro

O partido pedia a suspensão da pesquisa feita pela ‘Ascensão Tecnologia, Pesquisa da Informação’  de propriedade de Pamela Aparecida Peixoto Campos. Os emedebistas alegavam que a sondagem não cumpria os requisitos mínimos exigidos por lei, além de alegar que a pesquisa era fraudulenta. Alegaram também que a proprietária da empresa é servidora pública Municipal, na atual gestão do prefeito Enelto. No pedido ainda contestavam a legalidade uma página nas redes sociais que disseminava “fake news”

No entendimento do juiz da Comarca de Sonora, Daniel Raymundo da Matta, o magistrado reconheceu a legalidade da pesquisa de acordo com as resoluções vigentes do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Na iniciativa apontada pelo MDB, nenhum elemento capaz de comprovar que a pesquisa teria sido realizada de modo fraudulenta ou manipulada foi apontada com as devidas provas.

Mano pede desculpas…

Conforme a página Sonora Notícias, o ex-prefeito Mano pediu desculpas e também classificou como erro grave a tentativa de advogados da coligação em acusar a fan page de ser um divulgador de fake News. O controlador dos posts aceitou o pedido de desculpas e que irá  prosseguir com o árduo dever de publicar fatos relevantes ao bom debate sempre com direito ao contraditório, o que normalmente é desconhecido para outros meios de comunicação no município.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here