“A torcida de Sonora está na expectativa para ganhar o prêmio”, Clotilde Souza.

Por: ASCOM

Pela primeira vez, o Sebrae/MS realiza a competição Desafio Estadual de Merendeiras e a sonorense Elizabete Pagani, está entre as finalistas. A competição reúne representantes de 20 municípios e a fase final será nesta sexta-feira (24), em Campo Grande/MS.

Elizabete Pagani, mais conhecida como Bete, foi a vencedora do desafio no município ao preparar uma deliciosa porpeta de carne moída, arroz nutritivo e purê de mandioca com cabotiã. O prato contou com temperos frescos produzidos pelos trabalhadores da agricultura familiar da cidade.

De acordo com os organizadores, na final, os participantes serão divididos em dois grupos e irão preparar receitas e apresentá-las a um comitê composto por cinco avaliadores, entre eles, o chefe campeão do MasterChef em 2018, Rafa Gomes, juntamente com Arthur Coelho e Marcilio Galeano, chefes de destaque em Mato Grosso do Sul.

O objetivo principal da disputa é valorizar a profissão que tanto contribui de maneira positiva para a educação sul-mato-grossense, além de incentivar o uso de produtos advindos da agricultura familiar e estimular a alimentação saudável dos estudantes de todo o estado.

A gerente municipal de Educação de Sonora, Clotilde Castro, expressou sua alegria com a conquista de Elizabete. “A merenda de Sonora é bem elaborada e planejada para oferecer uma alimentação de qualidade aos nossos estudantes, e é fundamental valorizarmos as pessoas que preparam essas refeições recheadas de nutrientes necessários e principalmente, com muito amor e carinho, afinal criança que se alimenta bem, aprende melhor ainda”, afirmou.

De acordo com Clotilde, a torcida de Sonora está na expectativa para ganhar o prêmio. “Sabemos que é uma disputa difícil, mas estamos confiantes e preparados para trazermos esse prêmio”, disse entusiasmada.

Etapa Municipal

Para participar da disputa, cada profissional teve que criar uma receita com os critérios exigidos pelo edital: não foi permitido o uso de alimentos ultraprocessados, além disso, foi preciso utilizar a carne bovina ou de frango como proteína principal e incluir, no mínimo, três itens produzidos pela agricultura familiar. O prato criado por cada um garantiu o primeiro lugar na etapa municipal realizada nas cidades e, agora, serão apresentados a um novo comitê avaliador na etapa estadual.

De acordo com a merendeira, a comida foi desenvolvida em casa para driblar a crise financeira. “Quando meus filhos eram pequenos e a condição financeira era difícil, eu fazia a porpeta por ser uma receita simples”, revelou. Para o preparo do arroz, Bete contou que adicionou legumes para melhorar a qualidade nutricional e a junção do purê foi uma ótima opção para complementar o paladar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here