Moradora de Sonora também foi presa por dar guarida aos bandidos. Filho adolescente  também teve participação no furto  do Sicred, ocorrido no último domingo,6.

por:Paulo da Silva com informações do Coxim Agora

A Polícia Civil de Sonora junto ao  Garras(Grupo Armado de Repressão a Roubos e Assaltos), desvendou o crime de furto contra a agência do Sicredi ocorrido no último domingo, 06 de maio na cidade Sonorense.

O delegado de Polícia Civil de Sonora Francis Flávio de Araújo revelou ao Coxim Agora a prisão de Ronaldo Sousa da Silva de 35 anos, Nalva Fonte de Lima, de 35 anos, Rafael José Correia, conhecido como “Rafinha” ou “Zé” e a apreensão de um menor de 15 anos.

Após o furto os  investigadores de Sonora junto ao GARRAS realizaram diversas diligências, sendo constatado que o veículo Fiat/Uno, de cor preta e placas NPN-4256-Cuiabá/MT, havia sido utilizado pelos autores para a execução do crime e fuga para o Estado de Mato Grosso.  Ontem(10), a equipe do GARRAS informou que em Cuiabá/MT os policiais conseguiram abordar o Fiat/Uno, que era conduzido por Ronaldo Souza da Silva, que acabou admitindo envolvimento no furto do Sicred em Sonora. Ele confessou ser o responsável por guiar o veículo Fiat/Uno para a associação criminosa.

Veículo utilizado na ação. (Foto: Whatapp)

 

O homem acabou revelando que Nalva Fonte de Lima e um adolescente  de 15 anos  cederam uma residência na cidade de Sonora como base de apoio para a consecução do crime, fato que já era investigado pela equipe da Delegacia de Polícia de Sonora. Segundo as informações repassadas pelo GARRAS, aos investigadores de Sonora,  Ronaldo relatou que Nalva estaria em poder de parte do dinheiro furtado e ferramentas utilizadas no crime.

Nalva Fonte de Lima, acusada de ter dado suporte ao bando. (Foto: Whatsapp / Coxim Agora)

Diante de tal informação, a equipe de investigadores de Sonora foram à residência de Nalva  situada na Rua Goiânia, nº 243. No local, os policiais foram recepcionados por um adolescente, o qual negou envolvimento no crime, dizendo que nada de ilegal havia em sua residência, razão pela qual autorizava o ingresso dos policiais.

Todavia, os policiais encontraram no interior da casa, sobre a mesa, um papel com telefones contendo nomes e apelidos de autores do furto, que já eram de conhecimento da equipe. Além disto, os policiais solicitaram que o adolescente apresentasse uma camiseta da marca cobra d’água com a qual havia postado em uma rede social, idêntica aquela abandonada no interior da agência pelos autores.

Por não apresentar qualquer explicação plausível, o adolescente acabou admitindo participação no delito, dizendo que o dinheiro furtado e o equipamento usado na ação criminosa estava na casa de seu avó, situada Av. Wilson Barbosa Martins, nº 799. O adolescente disse que Nalva, estava na escola naquele momento, havia cedido a casa para 06 (seis) pessoas vindas de Cuiabá/MT para realizar o furto da agência Sicredi.

Motorista da quadrilha, Ronaldo Sousa da SIlva, foi preso em Cuiabá. (Foto: Whatsapp / Coxim Agora)

Ronaldo era condutor do veículo Fiat Uno, placas de Cuiabá (MT), ele ficou responsável pelo transporte e vigiar caso a polícia aparecesse, o motorista foi preso em Cuiabá, por volta de 22 horas de quinta-feira com o carro e R$2,800.00 em dinheiro que seria originário do furto, além de 62 munições de calibre 9mm, 01 munição de calibre .38 e 30 munições de calibre .40.

Em Sonora, os policiais realizaram a prisão de Nalva e do adolescente de 15 anos, ambos são suspeitos de terem dado guarita a quadrilha, dias antes, o menor havia tirado uma selfie e postado numa rede social vestindo uma camiseta que foi deixada no local do crime por um dos bandidos

Camiseta que o adolescente tirou selfie e foi deixada por um dos integrantes do bando. (Foto: Whatsapp / Coxim Agora)

Na casa do adolescente, os policiais encontraram no quarto dele algumas munições, inclusive do calibre 38 que foram furtadas da agência. Após isso, os policiais abordaram Nalva em uma escola e conduzida até a residência do pai dela, o qual autorizou o ingresso dos policiais. A mulher levou os policiais até um cômodo separada da casa, nos fundos do quintal, onde estava alguns equipamentos e discos de corte da mesma marca daqueles abandonados pelos autores no Sicredi.

Nalva também levou os policiais até uma edícula nos fundos composta de dois quartos. Num dos quartos, sobre o guarda roupa, foi encontrado uma quantia em dinheiro, que totalizou o valor de R$ 28.458,00. No outro quarto foi encontrada uma arma de pressão modificada para calibre 22, além de cápsulas de calibre .38 deflagrados.

 

Em poder dela, também foi apreendida uma motocicleta Honda Biz de cor preta e um capacete cor de rosa, pois, segundo informações colhidas durante a investigação, tal motocicleta foi utilizada pela mulher de Sonora que deu apoio aos autores na chegada da cidade. O menor ainda revelou que ele quem escondeu as ferramentas na casa do seu avô. Nalva, por sua vez, disse que foi ela quem escondeu o dinheiro sobre o guarda roupa na edícula do seu pai, bem como utilizou parte do dinheiro furtado para pagar dívidas, comprar roupas, alimentos, um roteador de internet, além de um lavador de roupa e ventilador em loja da cidade.

O garoto reconheceu por fotografia,  outros envolvidos no crime, sendo no total 06 elementos. A mulher também disse que deu metade (R$ 45 mil) de sua parte do dinheiro furtado para presidiários em Cuiabá-MT e que vieram buscar o dinheiro na rodoviária de Sonora no último domingo(6), no dia do furto por volta das 12h.